Release: Deixar de Ser Gordo

Livro "Deixar de ser gordo"

Livro “Deixar de ser gordo”

A humanidade nunca se preocupou tanto com a obesidade. Não é para menos. Estudos recentes revelam que 40% da população global sofre com a doença, que passou a figurar como um dos maiores problemas de saúde pública no mundo. O pior nesse quadro é que as famosas dietas não apenas não funcionam como têm contribuído seriamente para agravar a situação. Quem afirma é o psiquiatra e psicoterapeuta Flávio Gikovate, que está relançando, numa edição revista e ampliada, o livro Deixar de ser gordo, pela MG Editores. Utilizando uma linguagem clara e direta e a sua própria história de ex-obeso, o autor mostra como funciona o círculo viciosos da obesidade — cujos componentes principais são a privação, a compulsão e a culpa. O objetivo é ajudar aqueles que querem deixar de ser gordos, e não apenas emagrecer.

As dietas, em geral, pregam a privação e não a reeducação alimentar, diz Gikovate. “A privação leva ao desejo, por isso elas não funcionam. Impor uma dieta rigorosa ao indivíduo que é submetido diariamente a milhões de ofertas dos mais variados tipos de comida vai torná-lo um obsessivo.” O psiquiatra explica que quando o cérebro é obrigado a prestar muita atenção em algo, ele responde de maneira inversa, pois a obsessão vira desejo: “Por isso, quem está fazendo dieta começa bem o dia, seguindo corretamente a lista de ‘privações’, e, no fim do dia, termina atacando a geladeira”.

O maior insucesso, segundo o autor, é exatamente a preocupação excessiva com o emagrecimento. A neurose é tão grande que mesmo que a pessoa não coma, ela tenderá a não perder peso. Soma-se a esse quadro a necessidade de se adaptar a um novo mundo. “O avanço tecnológico, com máquinas que fazem o trabalho do homem, bastando apertar um botão, tornou a vida sedentária. A oferta de alimentos quintuplicou. E pior: podemos comer a qualquer hora do dia”, afirma. Além disso, Gikovate lembra que indústria da cultura do emagrecimento aumenta cada vez mais a oferta de milagres, como remédios que permitem que se coma loucamente e depois se elimine a gordura ingerida.

A obesidade deixa marcas profundas em quem enfrenta o problema, avisa Gikovate. Num primeiro momento, depois de um bom regime, o paciente pode até perder 20 quilos. Isso proporciona uma sensível melhora na auto-estima, mas não é suficiente para o manter o corpo magro, porque, mesmo sem o excesso de peso, a cabeça continua agindo como se tivesse um corpo gordo. “O ex-obeso tem de entender que terá de promover uma mudança radical no estilo de vida. E isso se faz com acompanhamento psicológico e nutricional.”

Para Gikovate, diante de tantas mudanças no mundo, as pessoas terão de se acostumar a viver como cardíacos, diabéticos e hipertensos. “Temos de adotar hábitos saudáveis: evitar o sedentarismo, o colesterol e o açúcar puro, não fumar, não comer gordura animal ou saturada. Magros e gordos terão de buscar a gordura de boa qualidade, que estão nos bons azeites. Comer atum, salmão e carnes magras. Aumentar a quantidade de fibras, frutas e verduras e grãos na dieta. Substituir o arroz convencional pelo integral. Enfim, ninguém precisa esperar um enfarto para tomar consciência de que precisa mudar de atitude. É isso ou a vida vai embora mais depressa.”

Ficha Técnica:

Livro: Deixar de ser gordo
Autor: Flávio Gikovate
Editora: MG Editores
Preço: R$ 32,20
Páginas: 144
Atendimento ao consumidor: 11-3865-9890
Site: www.mgeditores.com.br

Informações:

Ana Paula Alencar
(11) 4787-1322
(11) 9771-7336
imprensa@gruposummus.com.br
MSN: anapaulaalencar_1@hotmail.com
Sype: anapealencar
Twitter: @summus_imprensa

Compartilhe!