Os homens legais têm mais medo do amor

A primeira e principal razão pela qual as pessoas legais (mais para generosas, honestas, dóceis e com dificuldade de dizer NÃO) têm mais medo do amor do que as folgadas (mais para egoístas, menos sinceras, intolerantes a frustrações, agressivas e que defendem bem seus interesses) deriva do fato de que as primeiras amam de verdade enquanto que as últimas gostam mesmo é de ser amadas. O medo de mergulhar para valer no mundo deste sentimento é maior justamente nos que são mais fascinados e atraídos por ele. Trata-se do medo, entre outros, de se “diluir” no outro e perder a individualidade.

As mulheres legais também têm mais medo do amor do que as folgadas, que costumam ser as mais ousadas e exibicionistas, demonstrando clara preferência pelo universo do erotismo e da vaidade do que o da ternura e do romance. Ao mesmo tempo, todas as moças, até hoje, crescem com a ideia de que o casamento é o coroamento de uma fase da vida e representa um importante avanço psicológico e social. O casamento deve estar fundado no amor e isso gera forte contradição: o amor quando correspondido dá muito medo e é justamente este o primeiro critério para a escolha de um parceiro com quem se possa casar bem.

Na prática, homens e mulheres competentes para amar se ligam aos seus opostos, os mais folgados e que querem mais que tudo ser amados. Nesta condição não se sentem tão ameaçados e caminham firmes na direção do casamento. Quando o parceiro é legal o medo é muito forte porque a reciprocidade “esquenta” demais a intimidade. Nas mulheres, o projeto matrimonial reforça o desejo de ficar junto do amado; a aliança de ambos os anseios pode se tornar mais forte que o medo.

Nunca ouvi da boca de um homem que o seu maior sonho era casar e ter filhos! Não pensam nisso como um avanço social e muito menos como meio de resolver qualquer aspecto prático essencial. Nem mesmo o desejo de ter filhos costuma ser tão forte como nas mulheres. Assim sendo, a única força que os impulsiona na direção do amor (e eventualmente do casamento) é o desejo de estarem juntos de suas amadas. Não há alívio para o medo, não há o reforço de outras variáveis na direção do amor. Quando decidem ficar com uma mulher o fazem com muita coragem e exclusivamente por força do sentimento: talvez sejam mais românticos do que se diz. Até mesmo mais que elas!

Um palpite: sempre que o medo ligado ao amor for muito intenso, considerar com seriedade a possibilidade de que se está diante de uma parceria muito legal e promissora!

Compartilhe!
  • Luiz Delmiro

    Discordo da primeira frase do autor onde diz:
    ” Nunca ouvi da boca de um homem que o seu maior sonho era casar e ter filhos!” Discordo pq foi exatamente o que disse a minha ex-esposa antes de nos casar.
    E sou obrigado a concordar quando o autor finaliza com o seguinte abaixo por me enquadrar exatamente neste patamar;
    ” Quando decidem ficar com uma mulher o fazem com muita coragem e exclusivamente por força do sentimento: talvez sejam mais românticos do que se diz. Até mesmo mais que elas!”

    Errei, Reconheci e não tive perdão, porém não deixarei de acreditar num amor verdadeiro desprovido que qquer outro interesse que não seja o sucesso de seu conjuge. Só que isso no homem contemporâneo, se torna mais difícil ao passo em que as mulheres evoluiram tanto e continuam evoluindo ao ponto que perderem a Feminilidade e se posicionarem no lugar dos Homens. As mulheres sempre disseram que ” Homens não são confiáveis” , hoje porém penso que o jargão mudou de lado. Enfim nos resta continuar acreditando e amando, só assim contribuiremos para a salvação de duas instituições a beira da falência no mundo MODERNO; Família e Casamento.

  • fabio

    Dr. Gikovate é um imenso prazer, postar meu comentário em seu canal.
    Concordo plenamente com sua opinião, porem, acredito que somo livres
    para sermos capazes de nos servir da nossa própria razão.

  • Victor Lourenço

    ele quis dizer como médico e cientista social que usualmente nós homens somos ensinados a primeiro priorizar dinheiro no bolso, pra depois pensar em casamento, familia etc

  • Martins

    Estou a viver um momento complicado por causa de uma situação temporária de ter ido trabalhar para outro país. E por estar a viver uma paixão muito forte que ainda não consolidou totalmente. Se é que estas paixões consolidam. Espero que sim.
    o texto ajudou muito a entender o momento. Descreve bem o que tenho sentido. Como há muito tempo não sentia esta paixão, finalmente compreendi as minhas reações. É mesmo medo da perda.

    • Angelina

      Nao sofra por isso.. Amores vem e vao.. Sucessivamte.. E nunca é tarde p ser feliz..

    • Carla

      Oi! Sei que faz um bom tempo que você fez o seu comentário, também não sei se você vai ler o meu. Surgiu uma curiosidade de saber qual eram suas emoções na época. O fato é que conheci um homem muito especial, porém, quase 6 meses depois surgiu um medo gigante por parte dele. Esse medo tem sido um obstáculo para nós pq o limita de viver um relacionamento comigo. Ele não se entrega. Ele paralisou! Você se sentiu paralisado pelo medo de amar? Obrigada, Carla

  • Marcia

    Tudo o que o Dr. Flavio fez sentido para mim e me ajudou a entender muitas coisas. A parte triste eh que estou sem esperancas de que eu possa me apaixonar novamente. Sempre que leio esses textos lembro da minha ultima decepcao amorosa. Ate quando?

    • Angelina

      Marcia minha querida, amor perfeito n existe, so mesmo aquela florzinha cujo nome é igual.. Por tanto, n espere por isso.. Viva a realidade.

  • Sophia Magdalene

    Para mim, está cada vez mais fácil a distinção entre as essências egoístas e generosas(joio&trigo);penso que as essências generosas estão evoluindo para o patamar dos justos, sem perder a sua docura&bondade inatas; eles apenas adquirem a Consciência das suas essências e convencem-se finalmente disto:”eles prestam”; descobrem que o “B” que trazem na fronte,não é “B” de bobo, mas de BACANA…E isto faz toda a diferença no contexto geral das existências humanas.
    Acredito que já existe um movimento de separação natural entre estas duas “essências espirituais”…o justo deve buscar naturalmente, coexistir apenas com os seus similares.
    Quanto às essências egoístas? bem, agora eles deverão evoluir pela dor…coexistindo apenas com os seus semelhantes.
    Parabéns pelo texto!

  • Binho Vianna

    Eu tinha essa teoria mesmo, os homens são mais românticos que as mulheres que são mais condicionadas, com o tempo vai ficando menos romântico por causa das aporrinhações de um relacionamento tradicional, mas no fundo sempre existirá dentro dele aquele amor platônico da escola…