Ter ou Não Ter Filhos?

É incrível, mas até hoje os casais que decidem não ter filhos são olhados com desconfiança, como se estivessem traindo a sociedade e a espécie humana. O argumento que sustenta as críticas – e atinge principalmente a mulher – é o da necessidade de satisfação do instinto materno: “só mesmo uma mulher muito desalmada não tenderia a exercer seus impulsos naturais.” Assim se manifestam as pessoas que seguem os passos de nossos ancestrais, sem nunca refletir sobre o modo como devemos conduzir nossas vidas.

Se tomarmos outros mamíferos como base, verificaremos que o instinto surge a partir do nascimento da prole. Uma cadela não se entrega à maternidade até que nasçam seus filhotes, quando se torna feroz defensora e guardiã do bem-estar deles. Da mesma forma, acredito que nas mulheres esse instinto se revela apenas a partir da gestação. Ele se mostra nos cuidados que dedicam ao bebê e não no desejo de ter filhos.

Quando pensamos sobre o passado da nossa espécie, percebemos duas importantes características. A primeira: a reprodução era, como regra, uma manifestação indireta do nosso poderoso instinto sexual – e não da vontade de ser mãe! Com tanto desejo e com recursos tão pobres e pouco conhecidos, os casais já voltavam da lua-de-mel “grávidos”. A preocupação com o tema sempre foi muito maior do que a atual. As pessoas viam as mulheres que não engravidavam como problemáticas, detentoras de algum distúrbio.

A segunda característica se refere à função das crianças na vida familiar do passado. Todos festejavam o nascimento como uma importante conquista. Famílias numerosas podiam arar extensões maiores de terra, o que produzia maiores lucros. Além dos benefícios materiais, os pais contavam com outra vantagem: teriam amparo na velhice. Não havia dúvidas sobre o assunto.

E hoje? Por que ter filhos nestes dias tão cheios de contratempos e dificuldades? As razões que estiveram a favor da reprodução ao longo de séculos não existem mais: eles não cuidarão de nós na velhice e só alguns nos trarão benefício prático – é claro que existem exceções. Eles tendem a ser dependentes por tempo indeterminado, nos custam muito dinheiro e dificilmente poderão – ou acharão que devem – retribuir algo. Outra coisa: o sexo e a reprodução deixaram de ter a correspondência de antes.

Temos de aprender a pensar sobre nós e nosso tempo. Não faz mais sentido engravidar “porque todo mundo engravida”. Precisamos respeitar os casais que decidem não ser pais, o que indica que preferem se dedicar a outras causas a se sentir perpetuados em seus descendentes, a cuidar de crianças e acompanhar seu crescimento ou a se beneficiar da alegria e da agitação que levam para os lares.

Ter ou não filhos deve ser assunto de discussão para cada casal, uma vez que a decisão é muito relevante para o modo de vida que deseja imprimir à sua existência. Não existe um caminho melhor que o outro. Ser pai ou mãe não é obrigatório, mas facultativo.

Compartilhe!
  • LucianaP

    Sou mãe de um casal. Concordo com o texto. Só fico com uma dúvida: na velhice, quem não tem condições de se instalar em uma casa de saúde na Alemanha (onde, a princípio, será bem cuidado) será cuidado por quem? E mesmo tendo dinheiro para pagar enfermeiro/casa de saúde, quem cuidará das finanças? Tenho amigos que tiveram esse problema com os pais – o enfermeiro não cuidava direito ou furtava..E mais, o enfermeiro que cuida do meu pai conta que os velhinhos sem filhos são vítimas de furtos, senhas de cartôes..

  • Fabiana

    Excelente post, Flavio! Sou uma que decidiu não ter filhos e sou muito tranquila em relação a isso. Meu marido também respeita minha decisão. Abraços!

  • Andreia Vedder

    Desalmado é trazer uma vida ( um ser individual) a este mundo insano só por capricho pessoal. Nos dias de hoje dar vazão a esses instintos naturais me soa egoísmo. Seria mais altruísta a adoção.

  • alberto

    Muito importante que todos, principalmente as pessoas pobres, tivessem acesso a este tipo de informação, não haveria tantas crianças sem futuro e adultos frustrados em seus relacionamentos.

    • noli maria

      Sim, sem sombra de dúvida. Apesar de que informação não falta a essa raça. É preciso controlar a natalidade, com conscientização mais severa, não apenas falar

  • Salviorino Divinorum

    Concordo Andreia. Infelizmente nós seres humanos somos completamente insanos, pois a sociedade não é diferente do indivíduo. O excesso de seres humanos vivendo no planeta terra também nos causará problemas futuros enormes. A adoção, sem dúvidas, é a melhor alternativa para quem quer ter um filho!

    • noli maria

      infelizmente poucos tem o mesmo pensamento que o nosso, mas estou FELIZ de mais por encontrar pessoas com o mesmo pensamento que o meu

      • Nana Lordello

        Realmente é um alívio à alma encontrar pessoas esclarecidas e com diálogos tão inteligentes a respeito de um assunto tão amplo e delicado que a meu ver é de extrema necessidade ser discutido, afinal, particularmente não dou 10 anos para que os argumentos de alguns mudem e percebam que a atitude de muitos em não procriarem hoje, seja vista como altruísmo e entendam que egoísmo mesmo é contribuir para povoar um mundo já tão debilitado, deficiente, poluído e violento e que atitudes realmente bem pensadas sejam a solução para o caos que vivemos atualmente. Tomara!!

        • Nóli Maria

          é um alívio muito grande! E tomara mesmo que entendam que atitudes bem pensadas sejam a solução para o caos que vivemos atualmente.

  • Salviorino Divinorum

    Luciana, o que mais ocorre é o abandono dos idosos, seja pelos filhos ou pela própria sociedade. O que é uma ironia, pois todos nós seremos velhos um dia…

    • noli maria

      Não existe ter filho para te ser companhia ou te cuidar na velhice. Um exemplo, como minha irmã que está montando uma estrutura de vida na Suécia, vai largar tudo para cuidar da nossa mãe e ETC ?…

  • Rose Oliveira

    As pessoas hoje tem outros anseios com tanta correria fica difícil conciliar trabalho e maternidade, não é como no tempo de nossos avós quando as mulheres não podiam trabalhar e se dedicavam totalmente à maternidade, ainda hoje vi no jornal que um pobre recém-nascido fora abandonado em uma caixa de sapato, quanta covardia se não queria então por que concebeu?Temos que entender que filho é pra sempre e não temporário.

    • Lara

      Também penso assim. No meu caso não tenho vontade de ter filhos não só pelo trabalho, mas porque quero viajar muito e aproveitar a vida sem preocupações, coisa que eu não poderia fazer com um filho. Sempre que falo isso as pessoas torcem o nariz e falam que vou me arrepender depois. Por isso quando vejo mães fazendo barbaridades com seus filhos questiono se essa mãe não sofreu uma certa pressão da sociedade para engravidar… Claro que nada justifica uma atitude covarde e cruel como essa, mas as pessoas depois da desgraça falam: se não queria por que teve? Mas para aquelas que falam que não querem dizem: Vai se arrepender depois… É difícil ter uma opinião minoritária… Eu ja escutei tantas coisas que às vezes quando a pessoa que me questiona de filhos não é próxima falo que não posso esngravidar, só dessa forma não escuto asneiras….

      • noli maria

        ela sofre pressão da sociedade sim, pois segue o que a moda dita, o que MÍDIA dita, não tem opinião própria como eu vc e alguns poucos esclarecidos. A partir do momento que a mídia, que a TV começar a mostrar que ter filho é egoismo, é coisa ultrapassada e ETC. Ninguém mais terá um filho. Um exemplo de moda ditada era a mulher de peito grande, sofri diversas piadas, mas agora acham lindo, tudo pq virou moda ser peituda

    • noli maria

      e muito menos é brinquedo. As pessoas estão pouco se lixando. Tem os filhos e terceirizam. Se não pode cuidar, para que ter? Para mostrar a sciedade, claro que não, Porque é moda, pq é normal ter um filho?… TREMENDA COVARDIA E EGOISMO

  • Paula

    Maravilhoso!!!!!

    • noli maria

      perfeito não é, enlouqueci, pois o ser fala tudo que penso

  • José jupiteriano da silva

    O enigma de como se criar um filho… Nos dias de hoje… AMOR… CARINHO… DEDICAÇÃO… PROTEÇÃO… COMPREENSÃO… UNIÃO…

    • noli maria

      Impossível, pois com os filhos terceirizados, só quem cuida pode e não é o caso

      • Roberto de paula

        EXCELENTE TEXTO DO DOUTOR GIKOVATE, EU E MINHA NAMORADA JA FIZEMOS A ESCOLHA DE NÃO TER FILHO, TER FILHO NESSE MUNDO E UMA TEMERIDADE, PRINCIPALMENTE NESSES PAISES DE TERCEIRO MUNDO COMO O BRASIL CHEIO DE PROBLEMAS COMO VIOLENCIA, DROGAS, ETC.., A CHANCE DE DAR ERRADO E MUITO ALTA, E COM CERTEZA A CRIANÇA SERA UM FUTURO DROGADO, DESEMPREGADO, ETC.., E A BOMBA FICARA NA MÃO DOS PAIS. ESSA PRESSÃO DA SOCIEDADE PARA QUE AS PESSOAS TENHAM FILHOS E PATROCINADA PELAS GRANDES OLIGARQUIAS DO PODER PARA QUE OS POBRES NÃO PAREM DE DAR MÃO DE OBRA BARATA PARA OS PODEROSOS, E SOMENTE ISSO E MAIS NADA, NINGUEM E BONZINHO, TODO MUNDO DEFENDE UMA TESE COM ALGUM INTERESSE POR DETRAS, AFINAL DE CONTAS SE AS PESSOAS SE CONSIENTIZAREM E PARAREM DE TER FILHOS, PRINCIPALMENTE AS PESSOAS POBRES, QUEM E QUE VAI LAVAR, PASSAR, COZINHAR PARA OS RICOS NÃO E MESMO?

        • Nóli Maria

          Ou se é! (NINGUEM E BONZINHO, TODO MUNDO DEFENDE UMA TESE COM ALGUM INTERESSE POR DETRAS) As igrejas então, imagina, quem vai dar dinheiro para as pequenas igrejas grandes negócios

  • Mendes

    Concordo plenamente com o texto; aliás eu e minha esposa estamos entre os casais que decidiram não ter filhos e dedicar-nos a outras causas por nossa própria vontade.

    Mas tenho uma dúvida: até que ponto não ter filhos afeta o desenvolvimento emocional da pessoa? Existe a tendência de continuar agindo como um jovem adulto ou até um adolescente? Temos a necessidade de sermos admirados e amados incondicionalmente, como os pais são pelos filhos? Ou ainda de ter alguém pra cuidar e proteger…? Como isso afeta os casais sem filhos e como lidar com esses sentimentos?

    • noli maria

      BRAVO, meus sinceros parabéns. Só o tolo não entende isso.

    • Lua

      Pertinente reflexão.

  • Lara

    Desculpe, mas acho extremamente egoista colocar uma pessoa nesse mundo (principalmente neste país) para ter um cuidador na velhice… Se há a vontade de ser mãe ótimo, do contrário é até cruel.

    • Charles Bukowski

      Concordo, mas acho correto os filhos cuidarem dos pais na velhice. Afinal, o amor pressupõe cuidados mútuos. Logo, sem egoísmo de ambas as partes.

      • noli maria

        em muitos casos é enviável, então isso não existe. Ter um filho para cuidar de mim na velhice, ta bom, vou é arrumar um hotel geriátrico. Mas quem ama cuida.

  • SOPHIA

    Infelizmente, vivemos num país em que a maioria ainda está
    culturalmente, psicologicamente e por conseguinte, espiritualmente atrasada…nos
    primórdios ( negar isto, significa fazer parte deste “grupão” )…o texto é
    perfeito, mas infelizmente, apenas para a minoria esclarecida.

    A maioria não compreende que só um amor puro&resoluto&persistente
    entre duas criaturas humanas, justificaria um filho hoje/2015 e também tem outro
    fator que complica tudo, o “script” ou destino…karma…a Roda de Samsara tem
    que girar, inexoravelmente.

    • noli maria

      kakaka, LITERALMENTE apenas para a minoria esclarecida. Já fui excluída da minha página no face por essa raça de egoísta

  • SOPHIA

    “Não tive filhos, não transmiti a nenhuma criatura o legado
    da nossa miséria.”
    Machado de Assis

    • Charles Bukowski

      É uma frase que transborda sabedoria. Parece uma crença, mas o insight que tive é uma verdade. Não possuo crenças religiosas, ideologias e meu cérebro está além da moral e bons costumes estabelecidos e limitados pelo tempo e espaço da vida em sociedade. E o insight, que fora através do ácido lisérgico, me indicou que para que haja vida inteligente no Planeta Terra, humanidade terá que se extinguir. O ser humano, como podemos perceber claramente, vive em miséria, conflitos e superficialidades. Então, ou reduzimos o número de seres humano através do tempo, vivendo em harmonia e paz, de forma inteligente e restabelecendo a ordem da natureza, ou esperamos a nossa própria destruição por nós mesmos. Certamente com o final da humanidade, algo totalmente novo surgirá, pois a vida seguirá seu turmo. O que não está certo é ter reservas de vida natural em meio do caos humano, mas infelizmente é isso que está acontecendo.

    • noli maria

      Eu também jamais quis deixar esse legado, mas infelizmente, fui irresponsável e aconteceu o jamais quis

  • danilo

    As
    únicas coisas 100% certas que alguém pode garantir para um futuro filho
    são: sofrimento, doença e morte (esses são CERTOS, 100%). Se ele vai
    ser feliz? Talvez… Na verdade ter filhos é um ato de supremo egoísmo,
    ninguém está pensando no que é melhor pra ELE ou ELA, e sim pra sim
    mesmo. “Filho trás uma imensa felicidade” – pra quem?; “É a realização
    de um sonho” – e o que ele tem a ver com isso?; “Ele terá muito amor” –
    voce pode garantir? e se voce morrer engasgada(o) ou atravessando a rua?
    “Quem vai cuidar de nós quando estivermos velhos?” – Ah, então voce
    quer um enfermeiro ou uma babá, não um filho. Voce
    pode ter as melhores intensões, mas a verdade é que não pode garantir
    mesmo NADA além do que é certo pra todos nós(sofrimento, doença e
    morte). Então, pensando bem, pra que fazer alguém existir? Melhor seria
    “deixá-lo” na sua quieta “não-existência”. As únicas coisas que explicam
    esse impulso irracional de reprodução são o instinto de preservar a
    espécie (instinto = algo irracional, ok?) ou o egoísmo, de suprirmos
    NOSSAS carências(porque quem não existe, não tá pedindo pra nascer).

    • noli maria

      bravo!!! e a terceirização dos filhos, isso é que é egoismo. Essa raça tem filho apenas para mostrar a sociedade que teve. QUEM AMA CUIDA e não é esse o caso

    • Lua

      A sua opinião expressa perfeitamente a minha maneira de pensar a respeito do assunto. Muitas das coisas do homem – senão todas – têm suas raízes fixadas nas leis que regem o processo evolutivo; o que nos servirá é do que realmente necessitamos. O resto é capricho do intelecto.

  • Vera

    Eu realmente só virei mãe qdo meu filho nasceu, foi a coisa que mais me marcou e realmente muda a vida da gente. Só tenho coisas boas a falar disso pq só quem tem consegue ter a real dimensão de sentimentos que tomam conta da gente. Mas isso é A MINHA OPINIÃO, conheço pessoas que não tem vontade de ter e são perfeitamente satisfeitas com isso!

    • noli maria

      É um sentimento forte, mas não é necessário um filho para se realizar. Nem é preciso a pessoa que não ter filho sofrer preconceito, como se estivessem traindo a sociedade e a espécie humana.

      • Silvanaoliveira Oliveira

        Na verdade o sentimento que se tem ao ter um filho é totalmente diferente de qualquer um que se conheça, não tem igual é um amor totalmente incrível, nunca quem não teve um filho vai ter alguma condição de falar desse sentimento ou desse amor, vai muito além de “um sentimento forte”, mas eu creio que isso para quem concebe ter filhos. Admiro muito quem decide não ter e acho que se você não pensa em ter , é certíssimo não ter, deixe para lá sociedade,cobranças de família porque é uma responsabilidade que será só sua, ninguém vai participar, então você quem tem que decidir. Quanto a se realizar cada setor da vida é diferente setor profissional,pessoal e por ai vai. Eu tenho dois filhos, foram dois sentimentos fortíssimos, duas emoções indescritíveis na maternidade, não me arrependo nem por um segundo, são duas criaturas maravilhosas na minha vida, sem vícios, formados, trabalhadores, amorosos, enfim, tiver sorte e criei bem. Meu irmão não quis ter filhos, acho ótimo e louvável, ele não tem mesmo jeito. Parabéns aos que sabem que não serão bons pais e decidem não ser, esse mundo seria muito melhor se todos tivessem essa atitude.

  • Charles Bukowski

    Recentemente tive uma visão (insight) com o LSD. Para a evolução da próxima forma de vida inteligente no planeta terra, a humanidade terá que se extinguir. Ou nós fazemos isso de forma inteligente, através da vasectomia nos homens, deixando alguns descendentes, e modificando hábitos, reconstruindo a natureza. Ou seremos extintos por nós mesmos, através de uma vida superficial e materialista em que vivemos, vitimas da escassez de recursos, destruição do meio ambiente e etc. Moro em Brasília e aqui o horizonte tem uma nuvem de polição. Imagina como está nas maiores capitais do mundo. Vale ressaltar que, para o status quo, baseado na acumulação de fortunas e competitividade humana, a diminuição da população é tida como ameaça. Tal argumento e suas bases que as sustentam, certamente é uma falácia. Objetivamente falando, cada ser humano precisa de muito pouco para sobrevier.

  • noli maria

    Bravo, falou pouco e disse muito. EGOISMO sim

  • noli maria

    Existe casos de quem cuida ou terceiriza os cuidados, mas em suma acontece o abandono. como disse Salviorino Divinorum
    Luciana, o que mais ocorre é o abandono dos idosos, seja pelos filhos ou pela própria sociedade. O que é uma ironia, pois todos nós seremos velhos um dia…

  • noli maria

    Felicidades para vocês e parabéns pela sábia decisão. Não é preciso um filho para ser completo ou ser feliz.

  • Nana Lordello

    Então, com seu comentário vc já disse tudo! Os amigos que vc conhece são filhos de pessoas que eles mesmos como filhos não cuidam e para não terem trabalho, terceirizam os cuidados. Já que o pensamentos de muitos (o que eu acho de um egoísmo sem tamanho!!) é ter filhos para ter cuidados na velhice, vc mesma se deu a resposta! Acho que pior que não ter filhos, é tê-los e acreditar nesse amparo na velhice e não ter. Essa sim deve ser uma frustração sem tamanho!

  • Jefferson Brilhante

    Talvez o custo de um filho até que ele atinja a fase adulta, na qual continuará me dando custos, dê para pagar a casa de saude na Alemanha

  • Beatriz Sacramento

    Realmente.Tem pais que colocam várias responsabilidades a pessoas que ainda nem vieram ao mundo, como: cuidar dos pais na velhice; ajudar a se tornarem pessoas melhores; salvar casamentos; dar um netinho para os avós; agradar aos amigos; cuidar dos negócios da família; ajudar a arranjar casamentos; atender a princípios religiosos; servir como companhia; entre outras maluquices; ao invés de atender a um sonho puro e GENUÍNO de serem país.

  • robson

    Percebo aqui muita ideologia e questionamentos teóricos pois o depoimento prático pra mim só serviria, se algum pai tivesse aqui abandonado seus filhos, e viesse entre tantos eruditos apresentar suas queixas, nos provando que realmente os filhos que teve só lhe trouxeram aborrecimentos… enfim, não tem valor que pague um abraço e um beijo de um filho em uma manhã, não esperando nada em troca, lhe sussurrando ao pé do ouvido a frase: ” Bom dia papai/ mamãe, eu te amo”, quando puderem experimentar tal feito, perceberão que ser Pai/Mãe é um presente divino.